10 lições para NÃO aprender com os filmes!

| |
Oie minhas pessoinhas preferidas!! Vocês estão bem? Eu estou ótima ok Nathy, mas ninguém te perguntou!Eu estava vendo umas coisas velhas minhas e achei uma página de revista da Capricho que tem 10 lições para não aprender com os filmes. Tipo: as histórias do cinema são mega lindas, fofas, kawaii, inspiradoras, mas... Nem tudo pode ser levado a sério. E eu vou mostrar por quê!
Aqui embaixo segue uma lista de 10 coisas para NÃO aprender com os filmes. Espero que gostem!

1- Se o boy te ama, vai mudar por você.
No cinema: em Um Amor Para Recordar, o bad boy Landon Carter (Shane West) se torna, aos poucos, um garoto fofo. Ele até enfrenta os amigos para defender Jamie (Mandy Monroe), a garota tímida por quem se apaixona.
Na vida real: o boy pode até te tratar como uma princesa quando está a fim: afinal faz parte da conquista mostrar o lado mais legal que ele tem! Mas isso não quer dizer que el vai mudar totalmente por amor ou por você e que vai ser sempre perfeito. Um Namoro é feito de dias bons e ruins!
2- O primeiro beijo TEM que ser perfeito. 
No cinema: Mia Thermopolis (Anne Hathaway), de O Diário Da Princesa Um dos meus filmes e livros preferidos. Ok, foi só um comment., só quer uma coisa: que seu primeiro beijo seja tão perfect que faça seu pé levantar. Inspirada nos filmes antigos, Mia tem uma visão mega idealizada do que é a primeira ficada, mas ganha o beijo perfeito.
Na vida real: perder o BV pode ser um pouco mentira é muito, extremamente, super, hiper, ultra, mega power, blaster estranho, já que você tem zero prática e sempre, rola uma tensão. Além do que, o cenário do seu primeiro beijo pode ser um lugar super comum, como uma festa... afinal, nem todo mundo tem uma fonte mega romântica no jardim, né?
3- É possível (e preciso!) desfazer seus erros.
No cinema: em De Repente 30 outro dos meus filmes preferidos, Jenny (Jennifer Gardner), a protagonista, é muito sortuda. Além de conquistar a amizade "das populares do colégio" e ter virado uma adulta super bem- sucedida, a garota ganha a chance de voltar ao passado e desfazer suas más escolhas.
Na vida real: viajar no tempo ainda é impossível, certo? E isso não é ruim. Afinal, errando e lidando com as consequências desses erros, é que a gente cresce e se prepara para enfrentar novos desafios. Ou seja, as nossas burrices nos ajudam a sermos melhores.
4- É fácil trocar um namoro por uma amor de verão.
No cinema: em Cartas Para Julieta, Sophie (Amanda Seyfried) fica balançada por um cara que ela conhece na Itália, enquanto curte a lua de mel! A paixão dos dois que nasce em uma semana bastou para a garota dar um pé na bunda do marido e se jogar no novo amor.
Na vida real: sair de um relacionamento sério costuma ser complicado. Além disso, é também um momento de lidar com as suas expectativas e refletir sobre o que espera de um namoro. É preciso de um tempo para digerir as mudanças.
5- Você pode demorar anos até se declarar ao bff.
Na cinema: Rony (Rupert Grint) e Harmonie (Emma Watson), os melhores amigos de meu lindo, amado idolatrado, amadinho de Nathy Harry Potter, escondem muito mal a paixão que sentem um pelo outro. Foram necessários seis filmes para que eles se entendessem em O Enigma Do Príncipe. E olha que nem rolou beijo!
Na vida real: é difícil manter o interesse por anos quando ninguém toma a iniciativa. Se você está nessa situação, sonde, discretamente, as suas chances. Demonstre seu interesse, jogue indiretas. O boy vai perceber que algo mudou!
6- Mentir sobre sua vida pode torná-la, popular.
No cinema: Lola (Lindsay Lohan diva) muda de escola em Confissões de uma Adolescente em Crise e inventa um passado cheio de glamour para si. O auge das mentiras que são desprezadas pelos colegas é quando a girl jura que foi convidada para um festa vip de uma banda. No final, dá tudo certo: ela vira bff do cantor e arrasa na escola.
Na vida real: a fama de mentirosa não é tão simples de resolver. Mentiras afastam amigos fica difícil confiar em você, magoam pessoas e fazem mal para sua autoestima. Então, dê valos a si mesma. Acredite: é a melhor forma de atrair que ficará sempre ao seu lado!
7- Meninas populares são más.
No cinema: a história de Ela e os Caras traz  o típico dilema dos alunos pop a malvados. Ao ser expulsa da fraternidade por suas terríveis colegas de quarto, Sydney (Amanda Bynes) faz uma revolução e vira de cabeça pra baixo a "hierarquia" do campus da faculdade, rebaixando a galera esnobe e trazendo fama aos oprimidos.
Na vida real: nem todas as garotas populares são arrogantes. Às vezes criamos impressões ruins sobre uma pessoa só porque ela se destaca de alguma forma. Verifique se sua raiva das populares tem fundamento. Se tiver, afaste-se delas. Mas pense a antipatia pode ser uma mistureba de sentimentos, como curiosidade, interesse, admiração, e, até... inveja. Acontece!
8- Todos os tipos de fofocas podem ser perdoadas.
No cinema: a panelinha das Plásticas, de Meninas Malvadas, tem como passatempo favorito espalhar fofocas sobre todas as girls da escola. Acontece, que no próprio filme, as consequências das fofocas são explosivas: as garotas depredam o colégio inteiro e são obrigadas a pedir desculpas umas às outras. Final Feliz!
Na vida real: lidar com uma fofoca pode ser complicado. Então, quando puder, evite passar as intrigas adiante! Saiba diferenciar a vontade de dividir uma notícia quente com a bff daquilo que expõe e machuca os outros. Tenha em mente que, dependendo da gravidade da fofoca e dos prejuízos que elas causaram, pode não haver perdão depois.
9- Para realizar um sonho, vale mentir para os pais.
No cinema: em Na Trilha da Fama Terry Fletcher (Hillary Duff) deseja estudar música, mas seus pais não permitem. Então, a personagem resolve dizer que está visitando uma tia, mas, na verdade ela está fazendo o curso que desejava. No final, ela se dá bem, claro!
Na vida real: mesmo que mentira tenha uma causa nobre, ela pode resultar um algo mais sério do que dias de castigo sem televisão e computador. Você não precisa desistir do seu sonho, mas lutar por ele pode incluir vencer a resistência familiar. Recolha informações que provem seu interesse e mostre a seus pais. Não rolou? Procure adultos em quem confia para ajudá-la.
E por fim, a décima lição para NÃO nunca, jamais, em hipótese alguma aprender com os filmes.
10- O amor pode superar as diferenças.
No cinema: em Ela Dança, Eu Danço, Tyler Gage (Channing Tatum), o encrenqueiro do bairro, destrói o auditório de uma escola de artes e é condenado a prestar serviços comunitários por lá. é assim que conhece Nora (Jenna Dewan), uma bailarina que muda a vida do garoto. Os dois vêm de mundos diferentes, mas bastou se apaixonarem para rolar uma final feliz.
Na vida real: apesar de lindo, esse final nem sempre é possível. Temos tendência a criar laços com pessoas parecidas conosco: nos sentimos seguros com o que é familiar. Além disso, apesar de ser essencial, só o amor não sustenta um relacionamento: é preciso compreensão, dedicação e coragem para mantê-lo, ainda mais quando duas pessoas tão diferentes estão envolvidas.
Bom gente, espero que tenham gostado e quero dar um avisinho a vocês: agora, meu nome está como Nakami Lee e eu vou explicar o porquê.
Ultimamente eu estou muito envolvida com o mundo kawaii e com cultura japonesa, portanto a partir de agora, sou Nakami Lee. E essa tal de Nakami não é uma nova postadora! Kiss
Ok era só isso.
Kiss
Nakami

Nenhum comentário:

Postar um comentário